Faculdade instituto paulista de ensino

INTRODUCãO

A história já registrava que desde a década de 70 a participação feminina em vários setores da economia sempre existiu, porém menos valorizada que a masculina. Desde a década de 70, vem crescendo consideravelmente a presença feminina no mercado de trabalho. Conforme aponta Cristina Bruschini, "ao analisar o comportamento da força de trabalho feminina no Brasil nos últimos anos, o primeiro fato a chamar atenção é a intensidade e a constância de seu crescimento" (Bruschini 2.000:14) (NEVES, Magda de A.)

        Estudos apontam que apesar de as mulheres apresentarem maior nível de escolaridade em relação aos homens elas ainda são remuneradas com menores salários. Quanto maior é o grau de escolaridade maior é a chance de obter maiores rendimentos e se engajar no mercado de trabalho, não é o que acontece quando associamos ao mercado de trabalho o elemento gênero, pois as mulheres tendem a ter maiores dificuldades para acessar a esse mercado do que os homens.

Ao longo dos anos as mulheres têm demonstrado um grande avanço no mercado de trabalho, mas ainda continuam em posições inferiores à dos homens.

Elas vivem em busca de igualdade constantemente, houve uma grande mudança para as mulheres no mercado, mas existem grandes acontecimentos para se concretizar.

Mesmo as mulheres sendo a maioria no total da população brasileira a sua participação no mercado de trabalho ainda é pequena.

No decorrer do texto iremos observar como se dá essa diferenciação, se é um fator ligado à discriminação de gênero e as lutas por igualdade como forma de superar essa situação.

Uma das explicações para a desigualdade de salários está no fato de que as mulheres ocupam mais freqentemente setores de atividade econmica que tradicionalmente pagam salários menores como a prestação de serviços domésticos, pessoais e outros serviços não especializados.

A proposta deste trabalho é realizar um estudo com a empresa Keepers do Brasil com a intenção de obter informações referentes ao mercado de trabalho feminino

Metodologia

A empresa de estudo é Keepers do Brasil, seu ramo de atividade é o de logística e seu quadro de funcionários é composto por 92, sendo 76 deles homens e 16 mulheres, dentre elas 5 ocupam cargo de chefia..

O estudo foi realizado por meio de questionários onde foram levantados dados referentes às dificuldades femininas encontradas para inserção no mercado de trabalho e percepções de ambos os gêneros referentes ao mercado de trabalho feminino. Estes questionários foram aplicados a duas pessoas do sexo feminino, uma que ocupava o cargo de gerente de Atendimento ao Cliente há 12 anos e a segunda o cargo de supervisora de recursos humanos há 9 anos. E duas pessoas do sexo masculino, um que ocupava o cargo de supervisor há dois anos e o segundo com o cargo de gerente operacional há 3 anos, a intenção da aplicação destes questionários para os dois públicos foi para verificar se há a existência de diferentes características para ocupar cargos de chefia.

Os instrumentos de coleta de dados foram dois tipos de questionários: um para o público feminino composto de quatorze perguntas e outro para o masculino contendo oito perguntas, sendo estes aplicados na visita à empresa.

A pesquisa foi realizada através de materiais bibliográficos, base de dados virtuais (tabelas, gráficos), artigos relacionados ao tema, dados privados.

MERCADO DE TRABALHO

De acordo com Léo Fraiman o mercado de trabalho real pode ser considerado a soma das oportunidades atuais e das que serão criadas pelas pessoas empreendedoras e criativas de certa área. Por exemplo, datilógrafos "perderam" espaço para diagramadores. Profissionais da Odontologia vêm se especializando em novos campos de trabalho, tais como atendimento domiciliar e odontopediatria. (Blog Fraiman, Leo , 30/01/2008).

Uma das grandes causas do desemprego no Brasil foi ocasionada pela crise mundial, onde milhares de brasileiros perderam seus empregos.

A inserção feminina no mercado de trabalho tem sido competitiva em relação ao universo masculino, pois a sua presença frente a esse novo cenário contribui para o sucesso dos negócios dando um toque especial às organizações com muita dedicação e força de vontade. Elas estão em busca de aprimorar os seus conhecimentos fazendo e demonstrando muito interesse no que diz a respeito do profissionalismo, reconhecendo o seu papel fundamental para que as mudanças ocorram de forma eficiente e eficaz tanto para as pessoas, quanto para as organizações e a sociedade.

é o aumento da participação feminina que tem equilibrado o intenso crescimento da população ativa.

é possível estabelecer uma relação entre o aumento da participação feminina e a queda da renda do trabalho masculino, o que acentua o crescimento da participação da mulher na renda familiar (LEONE, 2000).

Participação Feminina no Mercado de Trabalho

A participação feminina na sociedade está evoluindo. A mulher está demonstrando competência para assumir cargos de responsabilidades que antes era ocupado apenas por homens. Isto ocorre devido às mulheres estarem buscando se aperfeiçoar.

De acordo com a podemos afirmar através dos dados que as mulheres possuem um grau de escolaridade mais elevado que os homens, mas mesmo assim no momento da contratação elas são remuneradas com salários mais baixos que os homens.

Diferenças Salariais entre Homens e Mulheres

De acordo com pesquisa de salário realizado pela Catho em 2007, analisamos que a quantidade maior de mulheres (46%) estão concentradas nas empresas com faturamento de até R$ 15 milhões (empresas de pequeno porte) onde os salários são menores , já olhando para empresas de porte grande onde o faturamento ultrapassa a R$ 300 milhões a ocupação das mulheres cai absurdamente alcançando um percentual de 28% contra 72% dos homens . é neste ponto que verificamos onde se inicia a diferença salarial entre os sexos, pois segundo as pesquisas mencionadas na tabela abaixo constatamos que os salários de empresas de porte grande são bem mais elevados e a presença feminina é bem pequena, ficando então os melhores salários para os homens.

De acordo com a revista você S/A. /EXAME edição set 2008 em matéria com as melhores empresas para trabalhar afirma-se o dito acima, onde a participação das mulheres é minoria nessas organizações. Em 90% das empresas analisadas a presença da mulher é extremamente pequena.

Ocupação da Mulher no Mercado de Trabalho

No mundo globalizado em que vivemos a mulher está cada vez mais ocupando lugar no mercado de trabalho. Nos últimos anos, um dos fatos mais marcantes ocorridos na sociedade brasileira foi a presença crescente das mulheres na força de trabalho. Em vários campos, as mulheres já brilham mais do que os homens.

Observando os dados abaixo podemos verificar que as maiores ocupações por mulheres estão em níveis hierárquicos mais baixos que os homens.

CRESCIMENTO DA INSERçãO FEMININA NO MERCADO

Mesmo as mulheres sendo a maioria em sua população total ainda não é a maioria no mercado de trabalho, os homens ainda são líderes de participação no mercado. A inserção das mulheres cresce ano após ano, mas mesmo com todo esse crescimento elas continuam sendo a minoria.

Se tratando de anos anteriores até os dias atuais seu crescimento foi absurdamente grande, sendo que em 1999 elas somavam 52,0% do PEA (População Economicamente Ativa) e em 2008 somam 56,4%, ou seja, houve um crescimento em menos de uma década de 4,4%, enquanto que os homens de acordo com o (gráfico 1) abaixo declinou, mesmo tendo uma grande participação no mercado, sua evolução durante o período analisado foi mais baixa que o das mulheres.

A sociedade está evoluindo e os números demonstram que, pela sua competência a mulher está ocupando um novo lugar na sociedade.

DESCRIçãO DOS RESULTADOS

De acordo com os dados obtidos na empresa estudada ambos os sexos concordam que tanto para as mulheres quanto para os homens existem a mesma oportunidade dentro da organização e que essas oportunidades estão interligadas à cultura da própria empresa, e que ambos possuem a mesma competência para realizar qualquer tipo de trabalho com exceção os que exigem força física.

Foi perguntado às mulheres se as mesmas percebem a existência de discriminação na contratação de mulheres nas empresas para cargos de chefia. Ambas responderam que existe essa discriminação e depende de quem está contratando, pois ainda existem organizações que possuem esse paradigma e segue a regra de que tal função somente possa ser exercida por homens, mas afirmam que nunca passaram por algum tipo de discriminação no momento de ir à procura de novas oportunidades. Houve uma pergunta para mulheres com cargo de chefia dentro da empresa estudada em relação às dificuldades encontradas para ocupar este cargo e ambas disseram que a maior dificuldade é o respeito dos subordinados, ainda mais quando se trata de cargo anteriormente nunca exercido por uma mulher.

Conforme respostas dadas através dos questionários referentes às características que ambos devem ter para ocupar cargos de liderança as resposta foram unânimes, onde todas as características mencionadas tanto homens quanto mulheres possuem que é o conhecimento macro das atividades, ter espírito de liderança, demonstrar confiabilidade, motivação e agilidade na tomada de decisões, ou seja, ambos os sexos possuem essas características. Independente das crenças culturais das empresas ou discriminação da sociedade, ambos os gêneros deveriam ter a mesma oportunidade, pois as características necessárias para obter um cargo de liderança ambos possuem.

Devido o ramo de atividade da empresa as mulheres são minoria, por se tratar de força física o quadro de funcionários masculinos prevalece, mas que não existe discriminação da empresa em relação às mulheres, uma vez que dentre as 16 mulheres inseridas na empresa 5 delas estão localizadas num cargo de chefia.

Analise de Resultados

Analisando os resultados podemos verificar a existência da discriminação dentro da organização devido a mesma não contratar mulheres por motivo de força física, este quesito foi algo que a própria sociedade ou mesmo as próprias organizações colocaram para dar desculpas no momento da contratação de uma mulher na empresa e elas mesmas já aderiram esse ato como correto e não conseguem enxergar essas atitudes da empresa como um ato de discriminação. Como eles podem determinar que todas as mulheres não detêm de força física para realizar suposto trabalho. Logo as pessoas em seu interior já têm consigo a discriminação.

Conforme a empresa estudada a discriminação em contratar mulheres estão muito interligada às culturas da própria organização e que ambos os sexos possuem a mesma competência e capacidade de ocupar qualquer cargo, com exceção as que exijam força física e que devido ao ramo de atividade da empresa ser logística o quadro de mulheres é bem precário, mas que o ato de não contratar mulheres não seja discriminatório.

Segundo as características identificadas nos questionários pelo público estudado ambos disseram as características para ocupar cargos de chefia ser iguais tanto para os homens quanto para as mulheres, ou seja, independente de ser homem ou mulher ambos têm a mesma capacidade e competência para ocupar qualquer cargo, mas no momento da contratação fazem distinção de gênero aderindo atos discriminatórios. As características as quais foram identificadas nos questionários por ambos os públicos, tanto o homem quanto a mulher as detêm, logo a mesma oportunidade que um tem o outro deveria ter, uma vez que o que os faz diferente seria apenas o gênero.

CONCLUSãO

De acordo com a pesquisa podemos verificar a existência de discriminação em relação às mulheres no mercado de trabalho, e que mesmo com sua luta incessante por igualdade no mercado ainda não a adquiriram.

Relacionando a pesquisa com a empresa estudada podemos afirmar que a presença das mulheres nas empresas é extremamente menor que a dos homens. Mas podemos verificar que na empresa estudada a presença da mulher é muito precária, mas sua participação em cargos de chefia é grande em relação ao seu número dentro da empresa, dos 18% do quadro de funcionários ocupados por mulheres, 5% ocupam cargos de chefia.

As mulheres estão cada vez mais ocupando lugar nas empresas, mas segundo os dados elas continuam em posições mais inferiores que os homens, suas atividades estão ligadas à área da educação, saúde, segurança, serviços domésticos entre outros, ou seja, trabalhos menos remunerados. Já entre os homens eles estão mais distribuídos nas indústrias, gerente, consultores, ou seja, cargos de maior prestígio onde supostamente são melhores remunerados.

Concluindo as mulheres já ocupa um lugar favorável no mercado de trabalho tem-se certeza que não é o fim, pois elas ainda têm muito a conquistar.

REFERêNCIAS

  1. http://www.dieese.org.br/areaAssin.
  2. http://www3.catho.com.br/salario/action//artigos/As_diferencas_salariais_entre_Homens_e_Mulheres.php.
  3. Revista Você S/A Edição Especial SET/2008.
  4. http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/trabalhoerendimento/pme_mulher/Suplemento_Mulher_2008.pdf.
  5. LEONE, E. Renda familiar e trabalho da mulher na Região Metropolitana de São Paulo nos 80 e 90. In: ROCHA, M. I. B. (Coord.). Trabalho e gênero: mudanças,permanências e desafios. Abep, Nepo/Unicamp e Cedeplar/ UFMG. Editora 34, 2000.
  6. CONTINUAçãO DAS BIBLIOGRAFIAS

ANEXOS

Questionário

Questionário para homens:

  1. Qual o cargo que ocupa na empresa? E quanto tempo ocupa este cargo?
  2. Quais características devem ter uma pessoa para um cargo de liderança?
  3. Quais características necessárias para realizar o seu trabalho?
  4. Você acha que homens e mulheres possuem a mesma oportunidade na empresa?
  5. Já disputou alguma vaga com alguém do sexo oposto? Encontrou dificuldades? Você foi escolhido (a)?
  6. Há diferenças de características masculinas e femininas? Quais classificam ser especificamente da mulher e quais dos homens?
  7. Como você vê a atuação da mulher no mercado de trabalho nos dias de hoje?
  8. Você acha que a mulher e o homem possuem a mesma competência para desenvolver uma determinada função?

Questionário para mulheres:

  1. Qual o cargo que ocupa na empresa? E quanto tempo ocupa este cargo?
  2. Quais características devem ter uma pessoa para um cargo de liderança?
  3. Quais características necessárias para realizar o seu trabalho?
  4. Você acha que homens e mulheres possuem a mesma oportunidade na empresa?
  5. Já disputou alguma vaga com alguém do sexo oposto? Encontrou dificuldades? Você foi escolhido (a)?
  6. Há diferenças de características masculinas e femininas? Quais classificam ser especificamente da mulher e quais dos homens?
  7. Como você vê a atuação da mulher no mercado de trabalho nos dias de hoje?
  8. Você acha que a mulher e o homem possuem a mesma competência para desenvolver uma determinada função?
  9. No cargo que realiza existe alguma vantagem ou desvantagem em ser mulher?
  10. Quais principais dificuldades que você encontra para assumir um cargo de liderança? Você se sente comparada com os homens?
  11. Você acha que as mulheres podem ocupar os mesmos cargos masculinos? Acredita que a capacidade de ambos são diferentes?
  12. No momento de uma contratação você acha que existe alguma discriminação em não contratar uma mulher? Você já passou por situação parecida?
  13. Já passou por alguma situação de saber que é mais capacitada que seu concorrente (homem) e não ser contratada por ser mulher?
  14. Acha que existe preconceito da empresa ou dos homens em relação as mulheres no mercado de trabalho?

Please be aware that the free essay that you were just reading was not written by us. This essay, and all of the others available to view on the website, were provided to us by students in exchange for services that we offer. This relationship helps our students to get an even better deal while also contributing to the biggest free essay resource in the UK!