sou o rui alexandre

Sou o Rui Alexandre dos Anjos Bertolo Gonalves, nasci a 9 de Outubro de 1978 em S.S. Pedreira, Lisboa. Vim para Alhandra de onde a minha me natural, o meu pai de Cabo Verde ilha da Praia.

Acho que tive uma infncia igual aos outros, vivi em Alhandra at cerca dos meus 8 anos, depois os meus pais mudaram-se para Vialonga, mas foi apenas por 2 anos, e voltaram para Alhandra. Tenho uma irm, que 3 anos mais velha que eu, e tem um filhote de 3 anos.

Vivi na Rua Toms de Almeida em Alhandra at aos meus 8 anos, depois os meus pais mudaram-se para Vialonga, lembro - me que estudei na escola "pavilhes" que ficava junto ao rio Tejo em frente aos lavadouros de Alhandra e na quarta classe foi para a escola do castelo.

Os meus tempos livres eram ocupados no ping pong e na ginstica, praticava na juventude desportiva Alhandrense.

Dos 8 anos aos 10 vivi um pouco entre Vialonga e Alhandra, a estudar em Alhandra, normalmente ficava em casa dos meus avs durante a semana e ia at Vialonga ao fim de semana./

Quando tinha 10 anos os meus pais mudaram-se novamente para Alhandra e eu fui estudar para a escola Soeiro Pereira Gomes. Comecei a praticar canoagem aos 12 anos, desporto esse em que at ganhei umas medalhas.

Chumbei no 4, 6 e no 9 ano e fui repetir o 9 para Vila Franca de Xira, para a Sousa Martins, e fui para a Escola Professor Reinaldo dos Santos no 10 ano, chumbei, e no ano seguinte sa da escola.

Alhandra uma vila histrica, de descendncia rabe, que desde muito cedo se apoiou e cresceu derivado a pesca agricultura nas lezrias ao fabrico de telha e tijolo, no final do sculo passado e com a implantao da indstria nasceu a fbrica de linho e juta a fbrica de l da Quinta da Figueira e a fbrica de cimento isto entre 1892 2 1894.

A implantao da fabrica do cimento em Alhandra deve-se Antnio Tefilo de Arajo Rato que pediu a Portland Artficial o exclusividade do fabrico de cimento, a fabrica montada com o que de mais moderno havia na poca, produz actualmente mais de seis mil tonelada de cimento. A indstria viria a vincar e a moldar Alhandra com o forte crescimento da fbrica do cimento e os fortes movimentos operrios. At a pouco tempo a vila viveu sobre um manto acinzentado que substitua o vermelho dos telhados por um acinzentado o branco das casas por acinzentados os azulejos das casas e os espaos verdes com tons de acinzentado.

O cimento e a fbrica do cimento dominam a vila e a entrada e sada de camies da vila, como os vrios postos de trabalhos criados pela fbrica ainda hoje marcam a vila. Junto ao Tejo existiam as barracas dos pescadores que a cerca de duas dcadas foi demolida e substituda por uma bairro essa ribeirinha estava tambm detiorada e um pouco abandonada os cerca de 2 quilmetros de zona ribeirinha eram lodo com canas, pedaos de telhas e tubos de amianto, com um "cais" para os pescadores bastante improvisado eram umas estacas de madeira espetadas no lodo onde se atava com uma corda os barcos. Desses 2 quilmetros apenas 1 era caminhavel e mal, hoje em dia esta todo muito bem arranjado com um belo caladam ribeirinho que vai ate vila franca de Xira com um cais para os pescadores e uma marina em condies sem amianto e lodo a vista.

A 1 de Novembro de 1931 chega a luz elctrica a Alhandra, durante a dcada de 30 e construda a actual estrada nacional n 10, a agua canalizada s chega na dcada de 50 , mais propriamente 22 Junho de 1952 . O actual mercado foi inaugurado a 22 de Junho de 1927.

Entre os mais famoso de Alhandra destacam-se, Afonso de Albuquerque, o leo dos mars, governador da ndia, Jos Toms de Sousa Martins medico muito famoso que viveu na vila de Alhandra, Soeiro pereira gomes que aps ter regressado de frica muda-se para Alhandra.

Entre muitos acontecimentos que marcaram o passado da vila de Alhandra, recordam-se os mais importantes, as cheias, que ainda em Novembro de 1983 fizeram sentir os seus estragos, cheias que tambm ocorreram em 1865, em 1912, 1937 e 1967. Os terramotos foram igualmente sentidos em 1531, 1551, 1755, 1858 e 1909. De lembrar ainda o ciclone de 15 de Fevereiro de 1941,

Nas frias da escola, do 9ano para o 10ano, fui trabalhar para uma serralharia na quinta da Panasqueira em Alverca, onde trabalhava um vizinho meu, e nas frias que chumbei no 10ano fui trabalhar para a Cimianto em Alhandra, depois sa da escola e comecei a trabalhar como electricista, numa empresa de Lisboa Farinha Freitas e Teotnio. Comecei a trabalhar numa urbanizao na Apelao.

Aos 19 anos fui para a tropa em Beja e depois vim para Alcochete para o depsito geral de material de guerra DGMG.

A tropa uma experiencia nica que temos na nossa vida temos de aprender muita coisa, desde a agir sopre presso, a lidar com os nossos camaradas, a respeitar os superiores, a cumprir os horrios rigorosamente, ter uma postura militar, entre muitas mais coisas, tambm tinha de ter conscincia se eu erra-se em qualquer coisa no ia ser s eu a pagar por isso, iria pagar o peloto inteiro.

Sa da tropa e fui trabalhar para uma empresa a Engtel, tambm de electricidade, a Engtel trabalhava muito para o estado mais propriamente em quartis militares e eu andei por l cerca de ano e meio, a fazer instalaes de telefones e redes informticas a ligar quartis por fibra ptica. Depois sa, ganhava mal e os meus antigos patres andavam-me a telefonar para eu voltar para l.

Fui trabalhar para FFT, para Santos, deram-me a categoria de pr oficial de electricista, esta empresa trabalhava muito para a Cmara de Lisboa. O encarregado j me dava alguns trabalhos de responsabilidade e eu at os gostava de fazer. O encarregado j no me chateava tanto, deixava-me mais vontade, eu que via o material que ia precisar ao principio do dia e no final do dia dizia-lhe se era preciso encomendar alguma coisa para o trabalho que eu estava a fazer, ele praticamente comeou a passar perto do trabalho que eu estava a desempenhar s se eu solicitasse ou se estivesse com algum problema, atrasado, algum entrave, comeou a dar-me um ajudante para me ajudar a elaborar os trabalhos, trabalhos esses que eu dantes j fazia mas, a ajudar um pr oficial ou oficial de electricidade, porque se andasse sozinho ia montar tomadas e por barras de dejunao nos pontos de luz, limpar quadros elctricos com uma vassourinha etc.Com o ajudante e com o encarregado a confiar em mim j fazia colunas elctricas fazia a instalao das garagem parqueamentos era uma instalao que feita com cabo vista mandava-me ir resolver avarias em outras obras agarrava no desenho elctrico e s me dizia "vai e faz isso" j no ia at ao sitio "e estas a ver fazes assim e depois assim ".As colunas elctricas num prdio provavelmente a parte mais importante e complicada de fazer, na parte comum do prdio as escadas ou seja em todas habitaes temos uma parte por onde as pr instalaes de electricidade, telefone, televiso, gs, agua, ar condicionado, aspirao central etc. Passam antes de entrar para nossa casa. Ento esse trabalho tem de ser bem planeado combinar com as restantes equipas por onde cada um passa o seu material, onde cada equipe fixa as suas caixas etc. Depois um trabalho com alguma responsabilidade porque, tubos partidos curvas mal feitas tubos trocados, alimentaes trocadas, quer dizer que, depois no se enfia o cabo, quando carregamos num boto para acender uma luz acende outra que no tem nada a ver, o vizinho do lado direito vai pagar as contas do lado esquerdo mas isso no chega a acontecer porque facilmente detectado e para arranjar tem-se que partir tudo e isso d um belo prejuzo. Acabmos esse trabalho e fomos, para Ameixoeira, fazer uma urbanizao camarria. Fomos uma parte da equipe o encarregado da obra de Santos no foi ficou l at acabar mesmo o trabalho e na ameixoeira era outro. Mas pouco mudou eu j o conhecia e em santos era habitaes de luxo e na ameixoeira era uma urbanizao camarria, o que quer dizer que levava muito menos coisas, "eram instalaes elctricas muito mais fracas", prdios que por dentro so em pldur material completamente diferente e eu j tinha uma pequena experiencia nesse trabalhos porque na Ameixoeira onde eu comecei a trabalhar tambm era assim. E rapidamente me adaptei e o encarregado dava-me os desenhos e dizia-me para ir para uma zona da obra com mais 2 ou 3 electricistas essa obra era muito grande, e eu comecei a chefiar coordenar 2, 3,4 electricistas que tinham uma categoria mais alta que a minhas, oficiais, que ganhavam mais e eram mais velhos, mas no tive grande problema, o encarregado apoiava-me o patro tambm, correu sempre tudo bem.

Depois fomos fazer a instalao elctrica em uma urbanizao na Parede perto de Cascais, eu comeava a sentir-me um pouco pesado e comecei a ir ao ginsio, em Vila Franca de Xira, o ginsio era pequeno e os donos mudaram-se para um stio maior, e meteram mais modalidades, uma delas kick boxing e eu fui experimentar, e pratiquei durante uns 3 anos. Fazer qualquer desporto sempre bom no tem nada de prejudicial, temos apenas de aquecer bem antes de comearmos e ao acabarmos fazer uns alongamentos e depois sentimo-nos melhor connosco mesmos, parece que ficamos com mais vida, simpatia, energia, alegria sentimo-nos mais leves com mais foras para enfrentar os problemas dirios entre outras coisas mais e com mais fome.

Quando praticamos desporto temos de ter o peso de acordo com a nossa estrutura fsica com a fora que temos, altura etc. Para isso acontecer temos de ter cuidado com a alimentao e com os lquidos que ingerimos esse cuidado pode mudar de pessoa para pessoa de desporto para desporto e principalmente em arte marciais temos que ter uma preocupao bastante rgida em relao nossa alimentao, porque existem categorias de peso. Mas uma alimentao correcta para um desportista tem de ser um pequeno-almoo bem reforado com cereais sumos naturais, queijo fresco, fruta, po, fiambre, tirando o pequeno-almoo s devemos comer quando temos fome e no por gulosice e tambm fazer varias refeies ao dia e nunca comer e depois deitarmos, tambm nunca devemos comer at ficar-mos cheios a sentirmo - nos com a barriga inchada. Depois evitar as calorias e bebidas com gs, estarmos dentro do que cada alimento tem de calorias valor energtico os cidos que possuem o que no deve-mos evitar a agua, fruta, legumes depois o peixe e a carne devemos alternar mas nunca fritar em relao a carne, carne de porco e enchidos tambm vai para a lista do que devemos evitar, bifes de peru e frango grelhados j podemos comer mas depois isso vai de pessoa para pessoa e para uma alimentao mais rigorosa devemos sempre falar com um especialista.

Fazer qualquer desporto sempre bom no tem nada de prejudicial, temos apenas de aquecer bem antes de comearmos e ao acabarmos fazer uns alongamentos o depois sentimo-nos melhor connosco mesmos parece que ficamos com mais vida, simpatia, energia e com mais fome.

Na Parede foi onde eu evolui mais profissionalmente, o meu patro tinha muito trabalho nessa altura e teve de mandar o encarregado para Duque d vila, perto do Saldanha, e eu fiquei como chefe na Parede. Correu tudo bem, o trabalho foi feito e bem, mas de um ano para o outro j no havia tanto trabalho, puseram-me num trabalho em Telheiras, a fazer a instalao elctrica nuns estacionamentos, mas andavam a despedir pessoal, e houve dia que chegou a minha vez, a firma tinha cerca de 60 electricistas, quando eu fui despedido j s tinha 20.

Fui at ao fundo de desemprego, mas foi por pouco tempo, cerca de 2 meses e fui trabalhar para uma empresa de segurana privada, como vigilante para a Feira Nova de Telheiras. Eu praticava kick boxing, e iam l treinar muitos policias, eu dava-me bem com eles e isso influenciou me para que eu quisesse na altura entrar para a policia comecei a estudar e a treinar para entrar para a GNR, ou para guarda profissional, mas no consegui entrar. Uma amiga minha licenciada e at d explicaes e eu pedi-lhe para ela me dar umas de matemtica, portugus, entre outras coisas eu tinha testes antigos e baseado nesses testes ela ia-me dando explicaes e reciclado alguma matria que eu j me tinha esquecido. Em relao ao treino eu na altura praticava desporto estava em boa forma fsica, mas comecei a treinar o que eles exigio para entra na GNR saltos, corrida, abdominais, elevaes, para que essa parte fosse fcil. Mas no me apliquei bem na parte terica subestimei pensei que era mais fcil e chumbei.

No Feira Nova conheci uma rapariga a, comeamos a namorar, eu passava o tempo todo em Lisboa e no tinha tempo para ir aos treinos de kick boxing e comecei a praticar boxe no Bairro da Cruz Vermelha.

Eu e ela dvamo-nos muito bem, eu queria comprar casa ela tambm, e passado um ano resolvemos comprar casa juntos em Alverca, Bom Sucesso, eu na segurana privada ganhava mal e comecei procura de melhor e encontrei numa fbrica do grupo Cimpor, que faz os sacos para depois irem para as cimenteiras serem cheios de cimento. A fbrica fica em Alenquer e chama-se Sacopor. A sacopor uma fabrica que transforma bobines de papel em sacos onde os operadores das maquinas incluindo eu teem a funo de visionar e controlar vrios pontos da linha de produo, pontos esses que esto numerados e identificados ao longo da maquina como posto de control e so 8.em cada um temos umas tarefas que eu passo a explicar o que se verifica em cada "PC" posto de control.

  • PC1-Viscosividade da tinta
  • Estado de limpeza dos carimbos
  • PC2-Desenrolamento das bobines de papel
  • Alinhamento do papel
  • PC3-sopreposiao das folhas
  • Posicionamento do fio de cola
  • Microcardagem
  • Impresso
  • Largura
  • Comprimento
  • Cortes
  • Posicionamentos dos pingos da cola
  • PC4-Numeros de tubos por packet
  • PC5-Estado de limpeza de carimbos
  • PC6-Afinaao de sacos dobrados
  • PC7-Numeros de sacos por packet
  • Posicionamento das folhas de fundo do lado da vlvula e do lado oposto
  • Posicionamento da vlvula
  • Colagem de fundos
  • Colagem interior
  • PC8-Comfiguraao da palete
  • Nmeros de sacos por palete
  • Secagem aps 72 horas

Tambm temos o armazm de matria-prima e o armazm de produto acabado onde laboram os condutores de empilhadores.

Na preparao de carimbos, somos ns os operadores das maquinas que os montamos.

Tambm na preparao de colas so os operadores das mquinas que laboram.

Na oficina electromecnica laboram os electrotcnicos e os serralheiros mecnicos, so eles que resolvem as avarias mais grave que surgem nas mquinas.

uma maquina rotativa bastante grande de grfica que est dividida em duas a de tubos e a de fundos eu sei trabalhar com a duas mas neste momento estou na de tubos e a minha funo o PC1,PC2,PC3,PC4

Este trabalho e bastante diferente dos que j tinha tido, na electricidade, convivia com pessoas diferentes diariamente, estava em sitos diferentes, fazias trabalhos diferentes, e tambm j tinha vrios conhecimentos de electricidade o que me dava muita autonomia, na segurana privada tambm lidava com pessoas diferentes diariamente, e mudava tambm muitas coisas de dia para dia, na sacopor isso j no bem assim, somos os mesmos todos os dias o trabalha o trabalho praticamente no muda de dia para dia.

Mas namorar e viver juntos, uma grande diferena e mal tnhamos a casa mobilada, passados cerca de seis meses j estvamos separados. Eu nessa altura arranjei um part- time foi me inscrever a prosegur e comecei a fazer segurana foi aceite eles deram-me formao de vigilante e de ARD, auxiliar de recintos desportivos e comecei a fazer segurana em vrios inventos como consertos e em jogos da bola "stewart" Para no termos de pagar a renda resolvi arrendar a casa, no correu muito bem, tive a casa arrendada cerca de 3 anos,

Depois para tirar as pessoas tive de ir a advogados, chama-los a ateno que a casa no era deles, isso tudo porque tinha presa em vender ou alugar a casa e ps numa agencia imobiliria e eles arranjaram "um aluguer" fizeram um contrato de aluguer meio duvidoso, com vrios erros, como ter que avisar com um ano de antecedncia para os inquilinos sarem, sem porem fiadores entre outras coisas e eu estava mesmo a precisar de alugar a casa e aluguei e foi numa conversa inquilino que era "ns vamos nos dar bem, e eu nem precisos dos recibos, voc baixava-me a renda." E a mim na altura pareceu-me bem, ele ganhava eu tambm ate me pareciam boas pessoas. Mas depois comearam os atrasos no pagamento da renda era que casa estava cheia de problemas era humidade, era torneiras, era a vizinhana, e eu comecei a lhe dizer para ele sair, e ele comeou a por mais problemas e eu resolvi ir-me informar a um advogado. Era fcil esta situao no ter acontecido era apenas ter um contrato de arrendamento bem feito dentro da lei e eu ter o carimbado nas finanas quanto aos recibos se eu no os passava eles no os tinha e como ate tinha sido ele que me props que fosse assim e tendo em conta os problemas que ele j me estava dar, o advogado enviou-lhe uma carta registada, a informa-lo para ele sair dentro de um ano porque o contrato estava mal feito, tem se que avisar com 3 meses de antecedncia, e durante esse ano ele tentou me por uns problemas mas consegui d a volta a situao e eles l saram.,

E eu comecei a equipar a casa a minha maneira, comprar electrodomsticos e moblia para usufruir da casa, ao comprar os electrodomsticos tive sempre em conta classe o tamanho e a marca, comprei classe A porque so mais econmicos, o tamanho porque temos de jogar com o espao que temos e com o que realmente precisamos, e comparar bem os preos, a marca obtei pela chamada marca branca que normalmente e mais barata e por vezes so bons equipamentos de boas marcas depois o que ser complicado a assistncia pode demorar mais tempo.

Please be aware that the free essay that you were just reading was not written by us. This essay, and all of the others available to view on the website, were provided to us by students in exchange for services that we offer. This relationship helps our students to get an even better deal while also contributing to the biggest free essay resource in the UK!