Jorge Miguel Ferreira

A minha história de vida

Eu chamo-me Jorge Miguel Ferreira Vieira, nasci no dia 23 de Junho de 1985 na Clínica Santa Tecla de Braga. Tenho 1,78 metros de altura, tenho o cabelo de cor castanho e olhos esverdeados. Sou uma pessoa bem disposta, falador, simpático e estou sempre disposto para ajudar os outros. Sou solteiro e tenho uma namorada chamada Celine, namorámos á mais de três anos.

Sou filho de Maria Amélia Ferreira Antunes Vieira e de António Manuel Antunes Vieira. Tenho uma irmã chamada Eliana que é casada e tem dois filhos, os meus dois sobrinhos que eu gosto muito são a Inês com nove anos de idade e o Ivo com dois anos de idade. Quase todos os fins-de-semana a minha irmã e os meus sobrinhos almoçam na minha casa onde por vezes a minha sobrinha Inês fica a dormir. Partilho o meu quarto com ela e levo-a comigo para o ginásio, somos uma família muito unida e feliz. Vivo com os meus pais no qual os ajudo nas tarefas de casa, tais como fazer a minha cama, deixar o quarto sempre arrumado e limpo, limpo a loiça, ponho a mesa entre outras. Realizamos a separação do lixo para a reciclagem explorar em CLC AS onde todos os fins-de-semana o levo aos devidos contentores. Considero que a separação do lixo é muito importante para a protecção do ambiente. Possuo uma garagem na qual ficam guardados dois carros, sendo eles o meu e o do meu pai. Tenho sempre o cuidado de saber qual o carro que sai primeiro para estar em ordem de saída. Verifico sempre se não ficam luzes acesas e o portão bem fechado.

Tenho a responsabilidade de verificar as datas das facturas do telefone e internet e proceder ao seu pagamento. Desenvolver ++ os critérios de evidência( …Bem Comum)

Reflectir a competência (constrangimentos e espaços de liberdade…os seus deveres e direitos)

CP DD Dr1

Desde os meus 3 meses de idade fui para o infantário de São Lázaro até aos 6 anos de idade, no qual frequentei a 1ª classe até à 4ª classe, na Escola de São Lázaro. No final das aulas ia para o A.T.L. até a minha mãe me ir buscar. Fazia lá os meus trabalhos de casa e brincava. Também ia sempre almoçar ao A.T.L.

Frequentei a catequese desde os meus 6 anos, fiz a 1ª Comunhão e mais tarde a Comunhão Solene.

Frequentei o ciclo na Escola André Soares e depois conclui o 10º ano com o curso de electricidade na Escola Carlos Amarante.

Enquanto frequentava o curso de electricidade e durante as férias, trabalhava todas as sextas-feiras de tarde e sábados numa empresa de metalomecânica. Neste trabalho fazia caixas em ferro para tractores onde tinha de soldar, quinar e cortar o ferro e por fim lavava e pintava as caixas. Era um trabalho muito duro, fazia-o para juntar dinheiro para comprar uma mota. Depois deste curso fiz um estágio renumerado de dois meses numa empresa de electricidade. Este estágio possibilitou-me aprender a arte da electricidade, observando e ajudando os trabalhadores.

Nesta empresa aprendi a utilizar um aparelho de recepção de sinal via satélite (Ilustração 1). Este aparelho – FSM 400 é um medidor portátil com ecrã de 5" a cores de sinais de TV que implementa todas as funções básicas necessárias para garantir a qualidade de uma instalação de R/TV analógica ou digital. ????? Explicar o que é ? para que serve?

Ilustração 1 Componex Televes Off-air

Segue abaixo uma apresentação de uma lista com as principais características do FSM 400:

Apresentação do Monitor:

Ecrã TFT 5" a cores

Standard Multinorma: PAL (B, G, D, K, I), SECAM (B, G, D, K, L)

Impulso de Sincronismo Representação gráfica do ecrã mediante funções OSD

Sincronismo 50 Hz

Sinal de vídeo

Entrada vídeo externo: Euroconector (on, off e auto)

Sensibilidade: 1Vpp (75 ohm) vídeo positivo

Saída de vídeo: Euroconector (vídeo composto)

Som

Entrada Euroconector

Saídas Euroconector e alta voz incorporado

Desmodulação AM, FM e NICAM (OPÇÃO FSM 500)

De-énfasis 50μs/75μs

Subportadora Variável de 4 a 9 MHz com resolução de 10 KHz tanto em terrestre como satélite.

Fixa terrestre: segundo o standard seleccionado:

Fixa em satélite: 7.02 e 7.20 MHz, independentemente do standard.

Características Mecânicas:

Protectores de borracha anti-choque

Peso: 5 Kg (sem bolsa).

Medidas: 280 x 130 x 310 (protectores incluídos)

Unidades externas e Baterias:

Alimentação das unidades exteriores: Pelo conector RF

Alimentação pré-amplificadores e LNB: Tensão (12/17/24 V) e impulso de 22 KHz (on e off)

Baterias: 1 bateria Ni-MH de 12V e 3,5 Ah.

Desconexão automática: Programável por um período de inactividade variável entre 1 e 59 min. (por defeito 15 min)

Norma PAL B/G PAL D/K Pal I SECAM B/G SECAM L SECAM D/K

Subport. 5.50 e 5.74 6.50 e 6.74 6.00 5.50 e 5.74 6.50 e 5.85 6.50 e 5.85

Estado da bateria: Indicação mediante LED, ícone no ecrã e indicação acústica de bateria baixa.

Ligação

Alimentação externa: Mediante adaptador DC fornecido com o equipamento

Alimentação externa: 12 - 14,8V

Consumo máximo: 35W

Recarrega baterias com a tomada do isqueiro do automóvel

Medidas:

Unidade de medida: dBμV

Indicação numérica no ecrã mediante função OSD

Gama de Frequências: Banda Terrestre: 47-860 MHz

Banda Satélite: 950-2150 MHz

Banda Retorno: 5-47 MHz

Banda GSM: 860-950 MHz

Resolução em frequência: 50 KHz em terrestre e 100 KHz em satélite

Resolução de nível: 0,1 dB

Precisão típica: ± 1 dB en terrestre e ± 2 dB em satélite

Leitura e compensação: Automática

Gama dinâmica: Superior a 50 dB

Analógicas: Nível (indicação numérica, barra e sinal acústico), C/N, V/A representação do impulso de sincronismo

Digitais: Potência do canal, C/N, BER*, MPEG*, MER*, Nicam*.

Medida de Nível:

Margem de medida:

Bandas terrestre e FM: 15 dBμV a 130 dBμV

Banda satélite: 20 dBμV a 120 dBμV

Largura de banda de medida: 250 KHz (banda terrestre) e 3 MHz (banda satélite)

Representação do espectro:

Filtros de resolução: 100 KHz, 250 KHz, 1 MHz e 3 MHz seleccionáveis automaticamente e manualmente

Span horizontal: Banda terrestre: seleccionável (8, 16, 32, 48, 96, 192, 496 MHz) e Full Span (Span total)

Banda satélite: seleccionável (25, 50, 100, 200, 512 MHz) e Full Span (Span total)

Nível de referência: Banda terrestre: seleccionável entre 60 e 130 em passos de 10

Banda satélite: seleccionável entre 60 e 120 em passos de 10

Atenuador: Automático

Condições ambientais de funcionamento:

Altitude: Até 2000 m

Margem de temperaturas: De 0 a 40 º C

Humidade relativa máxima: 80 % (até 31ºC), decrescendo linearmente até 50% a 40ºC.

Actualmente novos aparelhos surgem no mercado deixando para trás o modelo que utilizava no trabalho. Como por exemplo, a 22 de Dezembro de 2009 foi lançado o primeiro medidor de campo portátil Full HD do mercado, com uma nova funcionalidade: a desmodulação de serviços MPEG-4 em formato 1080p Full HD (Ilustração 2).

Ilustração 2 Televés H45

Com esta evolução permite-me concluir que ao longo do tempo surgem novas tecnologias sendo mais eficientes e modernas permitindo um trabalho mais eficaz e rápido. CP CM Dr2 ++++quais as diferenças entre estes equipamentos? Que melhorias? Vantagens?, etc.

Reflectir sobre a inovação ( tema do dr)

Após estes dois meses de estágio fui contratado para uma empresa de electricidade, onde fiquei durante três meses a trabalhar. Como era o único da empresa que tinha este curso ninguém queria que eu adquirisse mais experiência, pois os outros empregados tinham receio que eu ficasse com os seus lugares. Assim, fui despedido por não ter experiência profissional. Fiquei muito desiludido nesta área da electricidade pois não tinha quem me ajudasse a aprender e ser um bom profissional, então decidi dar uma volta à minha vida e deixar esta área da electricidade, mudando-me radicalmente para vendedor de apartamentos numa imobiliária onde descobri uma nova competência em mim na área de vendedor. Ao fim de um ano despedi-me por vontade própria, visto me ter informado dos direitos e deveres do trabalhador no tribunal do trabalho (Anexo 1) e vi que o empregador não estava a ser justo comigo pois não tinha um contrato de trabalho. Nunca recebi por escrito informações sobre o contrato de trabalho como, por exemplo, a identificação do empregador, o local de trabalho, a categoria profissional, a data da celebração do contrato, a duração do contrato se este for celebrado a termo, o valor e periodicidade da retribuição, o período normal de trabalho diário e semanal. Não usufruindo dos descontos para a segurança social e outros direitos tais como, gozar férias (em regra o período anual é 22 dias úteis, que pode ser aumentado até 3 dias se o trabalhador não faltar), receber subsídio de férias (cujo montante compreende a remuneração base e as demais prestações retributivas e que deve ser pago antes do início do período de férias), receber subsídio de Natal (de valor igual a um mês de retribuição que deve ser pago até 15 de Dezembro de cada ano) e seguro de responsabilidade civil por prática laboral. Não era isso que eu queria para a minha vida. Pode explorar CPDD Dr2

desenvolver ++ os critérios de evidência (reflectir sobre os seus deveres…. direitos laborais em confronto com direitos económicas..)

Encontrei um trabalho numa tipografia na qual permaneci durante aproximadamente dois anos. Neste trabalho aprendi muito a relacionar-me com as pessoas através do atendimento ao balcão. Realizava os pedidos dos clientes tais como tirar fotocópias, ampliar documentos, digitalizações, entre outras. Procedia à facturação e tinha sempre o cuidado de conferir o pagamento e devolver o respectivo troco. Tinha sempre em atenção em atender os clientes por ordem de chegada e em ir de encontro ás suas necessidades. Por vezes isso não era possível, como por exemplo, tive uma situação em que o cliente queria que lhe fotocopiasse um livro inteiro no momento, não sendo possível visto haver muitos clientes à espera para serem atendidos e ser regra da loja não se puder fotocopiar livros na hora mas sim deixar e marcar para vir levantar no dia seguinte. O cliente ficou muito chateado e pediu o livro de reclamações, tentei várias vezes explicar-lhe as regras da loja até que chegamos a um consenso, marquei com o cliente para vir levantar o livro do final do dia. CP AA DR2 ver/desenvolver critérios de evidência/competência (poderá futuramente reflectir sobre a formação em Atendimento que está a frequentar), evolui bastante a nível profissional. Durante este meu trabalho o meu patrão sempre me prometeu fazer os descontos para a segurança social, na qual vim a descobrir que nunca o fez então resolvi despedir-me. CP CFE Dr2

Tentei novamente valorizar o meu curso de electricidade procurando emprego nessa área. Fui para uma empresa de electricidade com contrato efectivo. Nesta empresa gostavam muito de mim, percebi que iria ser um bom profissional, os colegas de trabalho estavam sempre dispostos para me ensinar. Criei uma grande amizade com um colega de trabalho no qual ainda hoje somos grandes amigos. Como o meu salário era baixo, todos os sábados fazia um part-time numa outra empresa de electricidade. Ao fim de três meses esta empresa fez-me uma proposta para trabalhar a tempo inteiro dizendo que me daria um salário mais elevado e que me iria ensinar ainda mais nesta área. Isto não aconteceu, apenas me queriam para fazer trabalhos duros e não especificamente da área de electricidade. Ia muitas vezes para longe tendo de me levantar muito cedo e até havia dias que trabalhava 24h nunca sendo pagas as horas extras. Ao fim de um contrato de seis meses vim-me embora. Fiquei muito arrependido por me ter mudado visto me terem enganado, foi uma grande lição para minha vida. CP AM Dr2

Durante um mês andei à procura de trabalho, no qual surgiu para vendedor de peças de automóveis na empresa Auto Oliveira onde me encontro a trabalhar actualmente. Trabalho de segunda-feira e sexta-feira das 8h45 as 18h30 com 1h30 de almoço. Às segundas-feiras de manhã fico na empresa a resolver situações de devoluções e facturações de clientes, telefono aos clientes para saber se necessitam de algum material e por vezes tenho reuniões para avaliar as vendas efectuadas. Nos restantes dias verifico o material que tenho para entrega e carrego a carrinha seguindo viajem para os respectivos clientes da zona de Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Cabeceiras e Arco do Baúlhe fazendo assim 220 quilómetros diários. Gosto muito deste meu trabalho, convivo com os clientes fazendo novas amizades. Nesta empresa adquiri um curso de vendedor de duração de 50 horas e várias formações, sendo elas de vários tipos de óleos motores e pneus.

No final do meu dia de trabalho vou para o ginásio praticar musculação e natação. Considero o exercício físico muito importante para manter um bem-estar físico e psicológico e um estilo de vida saudável. No ginásio criei novas amizades e em épocas festivas realizamos jantares para socializar uns com os outros. Pode explorar em CLC Saúde

No Verão, todos os fins-de-semana vou para a praia de mota com a minha namorada onde praticamos Kite de tracção. (Continuação….para próximo envio)

E é assim a pequena história da minha vida, ao longo do tempo irei ter mais para contar.

Braga, 17 de Janeiro de 2010

Trabalho elaborado por: Jorge Miguel Ferreira Vieira Grupo 15

Anexos

Anexo 1 – Código do trabalho

Artigo 11.º

Noção de contrato de trabalho

Contrato de trabalho é aquele pelo qual uma pessoa singular se obriga, mediante retribuição, a prestar a sua actividade a outra ou outras pessoas, no âmbito de organização e sob a autoridade destas.

Artigo 12.º

Presunção de contrato de trabalho

1 – Presume-se a existência de contrato de trabalho quando, na relação entre a pessoa que presta uma actividade e outra ou outras que dela beneficiam, se verifiquem algumas das seguintes características:

a) A actividade seja realizada em local pertencente ao seu beneficiário ou por ele determinado;

b) Os equipamentos e instrumentos de trabalho utilizados pertençam ao beneficiário da actividade;

c) O prestador de actividade observe horas de início e de termo da prestação, determinadas pelo beneficiário da mesma;

d) Seja paga, com determinada periodicidade, uma quantia certa ao prestador de actividade, como contrapartida da mesma;

e) O prestador de actividade desempenhe funções de direcção ou chefia na estrutura orgânica da empresa.

2 – Constitui contra-ordenação muito grave imputável ao empregador a prestação de actividade, por forma aparentemente autónoma, em condições características de contrato de trabalho, que possa causar prejuízo ao trabalhador ou ao Estado.
3 – Em caso de reincidência, é aplicada a sanção acessória de privação do direito a subsídio ou benefício outorgado por entidade ou serviço público, por período até dois anos.
4 – Pelo pagamento da coima, são solidariamente responsáveis o empregador, as sociedades que com este se encontrem em relações de participações recíprocas, de domínio ou de grupo, bem como o gerente, administrador ou director, nas condições a que se referem o artigo 334.º e o n.º 2 do artigo 335.º

Artigo 103.º

Regime da promessa de contrato de trabalho

1 – A promessa de contrato de trabalho está sujeita a forma escrita e deve conter:
a) Identificação, assinaturas e domicílio ou sede das partes;

b) Declaração, em termos inequívocos, da vontade de o promitente ou promitentes se obrigarem a celebrar o referido contrato;

c) Actividade a prestar e correspondente retribuição.

2 – O não cumprimento da promessa de contrato de trabalho dá lugar a responsabilidade nos termos gerais.

3 – À promessa de contrato de trabalho não é aplicável o disposto no artigo 830.º do Código Civil.

Artigo 279.º

Compensações e descontos

1 – Na pendência de contrato de trabalho, o empregador não pode compensar a retribuição em dívida com crédito que tenha sobre o trabalhador, nem fazer desconto ou dedução no montante daquela.

2 – O disposto no número anterior não se aplica:

a) A desconto a favor do Estado, da segurança social ou outra entidade, ordenado por lei, decisão judicial transitada em julgado ou auto de conciliação, quando o empregador tenha sido notificado da decisão ou do auto;

b) A indemnização devida pelo trabalhador ao empregador, liquidada por decisão judicial transitada em julgado ou auto de conciliação;

c) À sanção pecuniária a que se refere a alínea c) do n.º 1 do artigo 328.º;
d) A amortização de capital ou pagamento de juros de empréstimo concedido pelo empregador ao trabalhador;

e) A preço de refeições no local de trabalho, de utilização de telefone, de fornecimento de géneros, de combustíveis ou materiais, quando solicitados pelo trabalhador, ou outra despesa efectuada pelo empregador por conta do trabalhador com o acordo deste;

f) O abono ou adiantamento por conta da retribuição.

3 – Os descontos a que se refere o número anterior, com excepção do mencionado na alínea a), não podem exceder, no seu conjunto, um sexto da retribuição.

4 – Os preços de refeições ou outros bens fornecidos ao trabalhador por cooperativa de consumo, mediante acordo entre esta e o trabalhador, não estão sujeitos ao limite mencionado no número anterior.

5 – Constitui contra-ordenação muito grave a violação do disposto no n.º 1.

Please be aware that the free essay that you were just reading was not written by us. This essay, and all of the others available to view on the website, were provided to us by students in exchange for services that we offer. This relationship helps our students to get an even better deal while also contributing to the biggest free essay resource in the UK!